Employee Stock Purchase Plan – ESPP

Muitas empresas multinacionais com filiais no Brasil permitem que seus empregados entrem em um programa corporativo chamado ESPP, ou Employee Stock Purchase Plan.

Mas o quê é isso, e principalmente, vale a pena entrar no ESPP da sua empresa? A resposta para essa pergunta é sim, mas vejamos os motivos.

Primeiro, o ESPP vem dos Estados Unidos da América, e suas regras não se traduzem fielmente ao mercado financeiro brasileiro. Mas seguindo a definição original, é uma maneira dos funcionários, com desconto e vantagens tributárias, comprarem ações da empresa. Por exemplo, em uma data determinada pelo plano, a compra pode ser realizada com 15% de desconto em relação ao preço justo de mercado da ação.

Os funcionários contribuem com o plano através de deduções diretas no salário, geralmente de 1% a 10%, acumuladas entre a data de oferta e a data de compra. Na data de compra, a empresa usa os fundos guardados para comprar ações em nome dos empregados participantes. O desconto concedido depende do plano mas pode chegar até 15% do preço de mercado.

Dependendo de quando o funcionário vender as ações, a venda pode ser classificada como qualificada ou não qualificada. Se a venda ocorrer dois anos após a data de oferta e pelo menos um ano após a data de compra, a venda das ações será qualificada. Se as ações forem vendidas antes de dois anos da data de oferta, a venda não será qualificada. Cada uma das duas maneiras tem implicações tributárias diferentes.

E vale a pena? Vamos usar como exemplo um plano com as seguintes típicas características:

  • A diferença entre a data de oferta e a data de compra é de seis meses;
  • O preço base da ação será o menor nessas duas datas. Por exemplo, se na data de oferta a ação custar R$ 42,00 e na data de compra ela custar R$ 51,00, o preço base é quarenta e dois reais (independente dos valores intermediários);
  • O desconto é de 15%;

Portanto, na data de compra, o funcionário poderá adquirir a ação por R$ 35,70 (42,00 – 15%).

E é aqui que o ESPP vale a pena. Já nessa data, a ação pode ser vendida pelo valor corrente no mercado, de R$ 51,00. Um rendimento de 42,85% (pré tributação).

Mas e se os valores forem invertidos? E se a ação desvalorizar durante os seis meses? Se ela começar em R$ 51 e cair para R$ 42, na data de compra o funcionário poderá adquirir as ações pelo menor valor, ainda com o desconto: R$ 35,70 (42,00 – 15%), e vendê-la no mesmo dia por R$ 42,00.

De qualquer maneira, se vender no mesmo dia, a ação renderá ao funcionário uma porcentagem igual ao desconto do plano, antes dos impostos. Mesmo nos casos em que os impostos são considerados, o rendimento pode ser por volta de 10%.

Por isso, se você pode, sempre maximize a contribuição ao Employee Stock Purchase Plan da sua empresa. Mesmo se o valor da ação cair no semestre, você poderá comprá-la pelo menor valor e já lucrar 10% na venda.

E claro, sempre diversifique seus investimentos. Não use apenas o ESPP. Não se esqueça de diminuir os riscos dividindo os investimentos em vários tipos, como Planos de Previdência e poupança.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>